Agilidade, estratégia, execução adaptação e mais agilidade - parte II (Foco no objetivo do negócio)


No alto da colina o leão observa seu território, onde outrora foi um vasto campo na savana, agora é um território menor, com uma presença maior do homem, a diminuição de sua caça e o desequilíbrio entre os predadores, tornaram o desafio de manter seu grupo coeso, competitivo e perene, muito maior.

No post, Agilidade, estratégia, execução adaptação e mais agilidade (parte I), falei sobre as características de empresas que conseguem atingir resultados escalando em

ambientes complexos e difíceis, estas empresas mantêm o foco no objetivo do negócio, operacionalizam suas estratégias através deste valor, resolvendo problemas através de sua própria identidade.

Meu objetivo neste novo post é ajudar você, que quer implementar a estratégia em sua organização, tem realizado ações estratégicas, porém ainda não obteve sucesso, ou mesmo quer se tornar mais estratégico no seu dia a dia e tem encontrado barreiras devido a complexidade que este tema é apresentado. Fazendo um paralelo com o leão acima, observando seu habitat de uma perspectiva maior, você deve olhar para seus processos, atividades, clientes, fornecedores, parceiros e concorrentes conectando-os a seu objetivo de negócio e suas manobras; mas o que eu quero dizer com objetivo do negócio? As teorias mais conhecidas e amplas da estratégia empresarial tentam colocar em prática um conjunto composto por: visão, missão, valores chave, objetivos, sub planos estratégicos, metas e planos de ação, produzindo na maioria dos casos confusão, lentidão e rios de dinheiro perdido ao não atingir resultados efetivos.


Alguns dados sobre estratégia nas empresas:

Segundo um estudo na revista Exame, 44% das estratégias empresarias fracassam em seus planos estratégicos (um número vultoso, se levarmos em consideração custos afundados, custos de oportunidade ou mesmo o orçamento destas iniciativas) sem entrar no campo da teoria das opções, o estudo mostra que estratégias mal executadas podem custar mais que dinheiro, são uma questão de sobrevivência, o estudo também mostra características dos líderes que conduziram a estratégia de forma bem sucedida comparando com aqueles que não obtiveram sucesso (44%):


Muitas organizações não veem resultados práticos ao falar sobre estratégia ou a visão do negócio, divulgando a falácia de que a estratégia é para os membros mais inteligentes e experientes da organização, congelando-a dentro da sala de seu Conselho Diretor ou passando o bastão nas mãos do CEO que tem a dura e árdua tarefa de comunica-la através dos corredores e intranet da organização, não raramente sem sucesso.


Para que uma estratégia obtenha sucesso, ela tem de ser ágil e conectada ao objetivo do negócio, defendo que o objetivo do meu e do seu negócio é o que é conhecido na estratégia empresarial como visão do negócio.


Exemplos de empresas e suas declarações de visão:

Whatsapp

"Conectar a todos, mundialmente".

Amazon

"Ser a empresa mais centrada no cliente da Terra, onde os clientes podem encontrar e descobrir qualquer coisa que possam querer comprar".


Lojas Americanas

"Ser a melhor empresa de varejo do Brasil".


O Boticário

''Conectar as pessoas aos ideais de beleza, sendo a marca preferida, com rentabilidade e crescimento acima do mercado''.



Grupo Positivo

"Atuar como referência empresarial nos mercados brasileiro e mundial nas áreas de educação, de informática e gráfico–editorial, e ter, como fruto da livre iniciativa, o reconhecimento do mercado e a melhoria da qualidade de vida das pessoas".


Ir de um ponto A a um ponto B

Trazer a visão do negócio, ou seja, seu objetivo de longo prazo para a realidade, ao meu ver, traz entre outros, estes benefícios:

- Cria um senso de urgência para atingir resultados estratégicos;


- Separa as ações que não geram valor imediato daquelas que são urgentes para o desenvolvimento da organização;


- Tem a capacidade de unir as equipes em prol de um objetivo e metas reais.


Como agilizar e difundir a sua estratégia?


Sem cair no fosso da discussão teórica afirmo, assim como outros especialistas em estratégia de negócios, que o objetivo do negócio deve ser propagado com a participação das equipes e times da organização, no exemplo abaixo formatei um funil para o design da estratégia, este exercício pode ser organizado através de seminários e reuniões onde estejam presentes a alta administração, times e equipes (de preferência apoiadores da estratégia) para formatar soluções e ações tornando a estratégia ágil e participativa no dia a dia da organização:


Funil de Execução da Estratégia

E é isso ai, pessoal espero que este post lhe ajude a formatar e acompanhar a estratégia em sua organização de forma ágil.


Deixo a frase abaixo de um escritor que em suas palavras sintetizou a motivação para uma estratégia:


''Todos os caminhos estão errados quando você não sabe onde quer chegar''.

Willian Shakespeare

Referências

Revista Exame:

https://exame.abril.com.br/negocios/por-que-boas-estrategias-falham-saiba-como-tira-las-do-pape/

https://exame.abril.com.br/negocios/formular-a-estrategia-e-uma-das-maiores-dificuldades-de-administradores/

Strategic Doing:

https://strategicdoing.net/

Strategy of Serengeti

https://www.fm-magazine.com/issues/2018/feb/strategy-lessons-from-the-serengeti.html

Leão Majestade por mérito:

https://super.abril.com.br/ciencia/leao-majestade-por-merito/

Posts Destacados
Posts Recentes